Vídeo: O universo de Alexander Calder

 

O trabalho de Calder foi uma sensação na década de 1930, quando ele se apropriou da escultura, a libertou e a colocou em movimento.Neste vídeo, publicado pela Tae, o comediante e físico teórico Dara O’Brian fala sobre seu amor pelo cosmos e esta conexão com os móbiles de Alexander Calder.

As obras do artista vêm fascinando a muitos. O mais famoso, talvez, tenha sido Albert Einstein, que supostamente ficou hipnotizado em frente à “A Universe 1934” durante todo o seu ciclo de 40 minutos. O’Brian explora a forma como o trabalho de Calder permanece importante ainda nos dias de hoje.

“Alexander Calder: Performin Sculpture” continua em cartaz na Tate Modern até 3 de abril.

Anúncios

Vídeo: Frieze Art Fair London 2015 Sculpture Park

Assim como nos anos anteriores, a Frieze London apresentou seu Frieze Sculpture Park – uma exposição de esculturas, instalações e performances ao ar livre, nos jardins do Regent’s park.

O Frieze Sculpture Park 2015 teve curadoria de Clare Lilley e reuniu 16 obras de artistas internacionais. Desta vez, porém, alguns trabalhos permanecerão em exposição até 10 de janeiro de 2016.

Este vídeo, publicado pela Vernissage TV, faz um passeio pelo parque de esculturas londrino.

Frieze anuncia permanência inédita do Sculpture Park até janeiro de 2016

Seung-taek Lee, Earth Play, 1979-89. Balloon painted with oil, 500cm diameter (Courtesy of Gallery Hyundai)

Pela primeira vez o Sculpture Park, seção da Frieze Londres que contempla esculturas e instalações ao ar livre, permanecerá nos jardins do Regent Park até 17 de janeiro de 2016, três meses depois do término da feira.

Parte integrante da feira desde 2005, o Sculpture Park apresentou nesta edição 16 trabalhos de importantes artistas internacionais. A curadoria deste ano justapôs trabalhos de significância histórica ao lado de obras modernas e de vanguarda contemporânea.

Os trabalhos apresentados este ano incluem: “Lock” (1976-7), grande obra de Richard Serra e exibido publicamente pela primeira vez desde 1977; “Open Secret” (2014) de Carol Bove; um monolito da cultura Pré-Ekoi da África Ocidental, estimado entre 800 e 1000 anos de idade; performances de Anri Sala; e um tetraedro em forma de árvore de Conrad Shawcross, parte de sua recente instalação no pátio da Royal Academy de Londres.

Confira a lista completa das obras do Sculpture Park em 2015 (as obras destacadas são as que têm permanência estendida)

Aaron Angell *
Shoe Chew 2015
RobTufnell

Carol Bove *
Open Screen 2014
David Zwirner

Tony Cragg
Contradiction 2014
Lisson Gallery

Leo Fitzmaurice
Litter 2015
The Sunday Painter

Seung-taek Lee
Earth Play 1979-89
Gallery Hyundai

Haroon Mirza collaboration with Mattia Bosco *
Standing Stones (Solar Symphony 8) 2015
Lisson Gallery

Pre-Ekoi
Anthropomorphic Monolith 11th-14th Century
Didier Claes Gallery

Kathleen Ryan *
More is More Snake Ring 2015
François Ghebaly Gallery

Anri Sala
To Each His Own (in Bridges), 2015
Galerie Chantal Crousel, Marian Goodman Gallery

Richard Serra *
Lock 1976-77
Peter Freeman, Inc.

Conrad Shawcross *
The Dappled Light of the Sun IV 2015
Victoria Miro

Dominique Stroobant
La Sfera Schiacciata III 200
Axel Vervoordt Gallery

Takis
Signal 1985
Axel Vervoordt Gallery

William Turnbull
Large Female Figure 1991
Offer Waterman

Gary Webb *
Dreamy Bathroom 2014
The Approach

Jesse Wine
Let me entertain you 2015
Limoncello

Visita guiada com José Resende na Galeria Millan

Sábado, dia 26, é o último dia da exposição individual de José Resende na Galeria Millan. Para celebrar este encerramento, o artista estará presente a partir das 11hs, para uma visita guiada.

A mostra é composta por esculturas recentes e inéditas. Mas engana-se quem, apenas, antevê uma nova etapa do trabalho de José Resende, pois o caminho percorrido nos 50 anos de produção do artista é de um “eterno retorno”; um continuum refletido e surpreendente. O humor, a tensão, as oposições de sentido, o movimento latente e a sua inscrição no espaço público sempre estiveram e estão presentes em sua obra.

Destaque para a escultura Dobras (2015) e as inéditas Corpo de Prova II (2015) e Upside Down (2015) – obra de seis metros de altura que ocupa o átrio da galeria e impacta pela sua monumentalidade, humor e desafio da gravidade.

Louise Bourgeois em sua primeira grande retrospectiva em Moscou

Obras “Cell” e “In and Out”, de Louise Bourgeois

O Garage Museum of Contemporary Art apresenta a primeira retrospectiva do trabalho de Louise Bourgeois em Moscou, como parte do programa especial da 6ª Bienal de Moscou.

“Structures of Existence: The Cells” aborda as séries de ambientes de esculturas de Bourgeois criadas nas duas últimas décadas de sua vida. Também estão incluídas na exibição as primeiras esculturas, pinturas e desenhos que levaram ao desenvolvimento deste corpo de trabalho monumental e inovador da artista.

Para complementar e expandir os temas da exposição, o museu – em colaboração com a Louise Bourgeois Trust e The Easton Foundation – apresenta duas esculturas em grande escala: a monumental aranha de bronze “Maman” (1999) e também “Has the Day Invaded the Night or Has the Night Invaded the Day?” (2007), uma das últimas obras da artista e nunca exibida anteriormente.

A retrospectiva permanece em cartaz entre 25 de setembro e 7 de fevereiro de 2016.

Escultura monumental de Ai Weiwei integra-se ao projeto Sculpture in the City, em Londres

A obra, última a se juntar ao Sculpture in the City deste ano, será instalada no icônico edifício Gherkin

Vista parcial de Forever (2014), de Ai Weiwei

Uma imponente escultura feita a partir de bicicletas empilhadas está se dirigindo para o icônico prédio Gherkin em Londres. A instalação “Forever” (2014) permanece em exposição entre 4 e 13 de setembro, como parte da 5ª edição da Sculpture in the City, exposição anual de vanguarda que ocupa os arredores de Square Mile em Londres.

“Forever” é um conjunto gigantesco de quadros de bicicletas em aço inoxidável, que o artista configurou em camadas geometricamente empilhadas e fundidas, criando uma única estrutura que ecoa as camadas e complexidades das pessoas e da sociedade chinesa, ao mesmo tempo em que reflete a pressa e a agitação da cidade de Londres.

A instalação antecede a abertura da retrospectiva de Ai Weiwei na Royal Academy, prevista para o dia 19 de setembro. Ela é a última das 14 esculturas assinadas por artistas internacionais a se juntar ao Sculpture in the City, que inclui ainda trabalhos de Damien Hirst, Sigalit Landau, Bruce Beasley, Ekkehard Altenburger e Tomoaki Suzuki, entre outros.

Com informações do Blouin Artinfo e Observer

Event Horizont, projeto de Antony Gormley, ocupa Hong Kong a partir de novembro

Event Horizon durante sua exibição em São Paulo

O internacionalmente aclamado projeto de arte pública do artista britânico chega em novembro a Hong Kong. Exibido inicialmente em Londres, em 2007, Event Horizont já esteve em Roterdã, Nova York, São Paulo e Rio de Janeiro.

Ao todo, 31 estátuas de ferro e fibra de vidro em tamanho natural serão colocadas em pontos diversos, como topos de prédios. Estas intervenções invariavelmente capturam o olhar da multidão, forçando uma pausa nas rotinas apressadas para admirar as interrupções inesperadas no familiar skyline urbano.

Escultura “observa” o Madison Square Park durante a permanência do projeto em Nova York

A partir de setembro serão divulgados os locais exatos da instalação das obras, mas já se sabe que os edifícios públicos mais emblemáticos da cidade estão na lista.

Event Horizon também é um projeto de educação e sensibilização voltado a professores, estudantes e ao público em geral. Uma série de palestras, seminários e workshops de desenvolvimento para professores estarão disponíveis durante a sua permanência em Hong Kong.

Event Horizon, Londres

Com informações de FAD Magazine, South China Morning Post e The Art Newspaper

Individual de Erika Verzutti no Sculpture Center de Nova York vai até agosto

Trabalhando entre materiais sintéticos e orgânicos, a brasileira Erika Verzutti cria objetos híbridos e situações que interrogam as relações entre formas e organismos em sua individual “Swan With Stage”.

A peça central da exposição, que acontece até 3 de agosto no Sculpture Center, em Nova York, é uma escultura abstrata que remete a um cisne, de quase quatro metros de altura, e funciona como monumento, personagem e palco. A peça é cercada por um grupo de fotografias em preto e branco, com imagens que mostram um ator e um cisne clicados em vários momentos de drama e comédia, nunca culminando em uma narrativa completa.

A exposição de Verzutti é comporta por trabalhos novos, incluindo Swan with Stage e a série fotográfica relacionada. Em complemento, a artista recriou alguns de seus trabalhos em bronze, incorporando a cor azul em cada obra. A escolha da cor azul é arbitrária, embora a decisão de incluí-la seja deliberada. Compartilhando a cor azul em comum, a cor cria sua própria variação, operando de forma diferente em cada escultura, tornando-se mais distinta através de suas comparações.

Instagram em foco: #SculptureInTheCity

Na série de posts “Via Instagram”, selecionamos uma #hashtag que destaque os assuntos do momento no cenário internacional das artes.

Hoje, a escolhida é #SculptureInTheCity. Pelo quinto ano, o projeto Sculpture in the City retorna durante o verão londrino, ocupando a Square Mile e seus arredores com uma seleção de 15 obras de arte contemporânea, de artistas como Damien Hirst, Sigalit Landau, Ai Weiwei e Bruce Beasley. As obras do projeto permanecem em exposição até maio do ano que vem.

Confira as imagens:

This #sculptureinthecity plays music when you walk by #art #sculpture #londonlife #musicalart

A post shared by Melissa B (@melissabbbb) on

Continuar lendo

Vídeo: Conheça o Storm King Art Center Sculpture Park

Vista do parque com esculturas de Mark di Suvero

O Storm King Art Center é um dos principais parques dedicados à esculturas do mundo, localizado a uma hora ao norte de Nova York, no Hudson Valley. Em seus 500 acres, campos, colinas e bosques compõem o cenário perfeito para abrigar uma coleção com mais de 100 esculturas em grandes formatos.

Os visitantes podem conferir obras de artistas como Marc di Suvero, Ronald Bladen, Roy Lichtenstein, Andy Goldsworthy, Maya Lin, Richard Serra, Emilio Greco, Henry Moore, Ursula von Rydingsvard, Kenneth Snelson, Alexander Liberman, Isamu Noguchi, Alexander Calder, Zhang Huan, Carl Andre, Alice Aycock e Louise Bourgois, entre inúmeros outros.

Sem fins lucrativos, o centro de arte foi fundado em 1960 e desde então recebe visitantes do mundo todo. Cinquenta anos depois, o Storm King continua a crescer e ampliar seu acervo.

Confira o vídeo da Vernissage.TV, A Day at Storm King Art Center Sculpture Park, New Windsor (NY, USA), de 3 de maio de 2014.