Programe-se para o fim de semana!

Confira as exposições que acontecerão a partir deste final de semana nas principais galerias de arte do eixo Rio – São Paulo

Fabio Miguez exibe sua nova produção na Galeria Nara Roesler

Fabio Miguez: Abrindo o calendário expositivo deste ano, a Galeria Nara Roesler apresenta a mostra Horizonte, Deserto, Tecido, Cimento, que engloba a nova produção de Fabio Miguez, nome consagrado da geração dos anos 1980. Paralelamente à exposição composta de pinturas inéditas, será apresentada no espaço anexo uma mostra com seis obras compostas de óleo e cera sobre diferentes suportes – madeira, vidro, tela, papel – além de uma fotografia. Todos os trabalhos fazem parte da coleção Figueiredo Ferraz, um dos principais acervos do país. De 28/2 a 28/3.

Luiz Zerbini: O artista apresenta “Natureza Espiritual da Realidade” no Galpão Fortes Vilaça. Através de uma grande instalação e de oito pinturas de grande e médio formato, Zerbini explora justaposições entre figuração e geometria, natureza e arquitetura. Essas temáticas, frequentes em sua trajetória, são apresentadas com uma complexidade inédita. De 28/2 a 28/3.

Matheus Rocha Pitta / Adriano Amaral / Maria Perez Simão: Três exposições ocupam a Mendes Wood DM a partir de amanhã. “Primeira Pedra” é a segunda individual de Matheus Rocha Pitta na galeria. A escultura que batiza exposição reúne pequenos cubos de concreto produzidos em série. Marina Perez Simão está em sua terceira individual na galeria, com suas pinturas em telas e papel que exploram paisagens imaginárias, mas quase conhecidas, referências a algo possível, mas que não se confirmam – seja por cores invertidas ou formas indefinidas que invadem as composições. Por fim, Adriano Amaral traz questões que abordam a passagem do tempo, da resistência e do perecível dos objetos por meio de instalações e esculturas que utilizam materiais extremamente delicados, como a seda e o carvão. De 28/2 a 4/4.

Outras vernissages do final de semana:
Ocupação Hilda Hilst – Itaú Cultural
Trinta por Trinta – Ateliê Priscila Mainieri
Matías Duville e Mostra de acervo – Galeria Luisa Strina
Pierre Verger – Galeria Marcelo Guarnieri
Rio Primeiras Poses – IMS – Gávea (RJ)
Ações, Estratégias e Situações nas Coleções do MAM – MAM (RJ)

Anúncios

Cena paulistana das artes visuais fervilha com a abertura da 31ª Bienal de São Paulo

Julie Mehretu é destaque na White Cube de São Paulo, na semana que antecede a abertura da Bienal

Com a iminência da abertura da 31ª edição da Bienal de São Paulo, que atrai centenas de colecionadores e diretores de instituições internacionais ligadas à arte, os eventos culturais da cidade de São Paulo estão a todo vapor.

Além dos jantares, visitas guiadas e outras recepções, voltadas apenas a convidados ilustres, galeria e museus da cidade guardaram a abertura de suas melhores exposições para este período.

A Bienal abre suas portas para o grande público no próximo sábado, dia 6. Porém, durante a semana que antecede a abertura oficial, outros eventos chamam a atenção. Instituições como a MAM, Pinacoteca de São Paulo, MASP, Oca, Museu Afrobrasil, Itaú Cultural, Casa da Imagem, MuBE e programaram suas vernissages no decorrer da semana. E desde o final da semana passada, grande parte das galerias mais expressivas vem oferecendo exposições gratuitas de seus artistas de destaque.

Confira abaixo as próximas aberturas e o que permanece em cartaz durante a Bienal para programar as suas visitas:

SEGUNDA-FEIRA, 01/09
Paulo Bruscky | Rivane Neuenschwander – MAM
Abertura para convidados – 31ª Bienal – Pavilhão da Bienal

QUARTA-FEIRA, 03/09
Cristiano Lenhardt, Gabriel Lima e Rodrigo Cass – Galpão Fortes Vilaça
Analívia Cordeiro – MuBE
Fernando Velázquez / Daniel Escobar – Zipper Galeria
Tai Ogawa / Fernando Vilela – Galeria Virgilio

QUINTA-FEIRA, 04/09
Julian Schnabel – Galeria Raquel Arnaud
Ibirapuera: Modernidades Sobrepostas – OCA
Julian Schnabel – MASP
Gustavo Speridião – Galeria Superfície

SÁBADO, 06/09
Abertura para o público – 31ª Bienal – PAVILHÃO DA BIENAL
Shima – Casa Contemporânea
Lawrence Weiner – Galeria Luisa Strina
Lawrence Weiner – Mendes Wood DM
José de Guimarães / A Serpente no Imaginário Artístico / Arte Bakuba – Museu Afro Brasil

JÁ EM CARTAZ:
Camilo Meneghetti e Nati Canto
Zipper Galeria, até 06/09
Francis Bacon
Paço das Artes, até 07/09
José Leonilson
Galeria Superfície, até 07/09
Marcos Chaves
Galeria Nara Roesler (RJ), até 07/09
Rosângela Rennó
Galeria Vermelho, até 13/09
Cassio Michalany
Galeria Raquel Arnaud, até 20/09
Gabriel Wickbold
Galeria Lume, até 20/09
Hermelindo Fiaminghi
Dan Galeria, até 20/09
Armando Andrade Tudela
Galeria Fortes Vilaça, até 27/09
Yuri Firmeza | Manuela Ribadeneira
Casa Triângulo, até 27/09
Thiago Rocha Pitta
Galeria Millan, até 27/09
Tunga | Sonia Gomes
Mendes Wood DM, até 04/10
Taipa Tapume
Galeria Leme, até 04/10
Paulo Nazareth
MendeS Wood DM – V. Romana, até 04/10
Carlito Carvalhosa
Galeria Nara Roesler, até 05/10
Histórias Mestiças
Inst. Tomie Ohtake, até 05/10
Shirley Paes Leme
Bolsa de Arte, até 11/10
Song Dong
Baró Galeria, até 11/10
Liuba Wolf
Galeria Marcelo Guarnieri, até 11/10
Paulo Bruscky
Galeria Nara Roesler, até 18/10
Johanna Calle
Marília Razuk, até 18/10
Sabotagem | Caio Reisewitz
Casa da Imagem, até 19/10
Mira Schendel
Pinacoteca do Estado, até 19/10
Flora Assumpção | Nazareno
Galeria Emma Thomas, até 24/10
Rumos Artes Visuais 1998:2013
Itaú Cultural, até 26/10
Julie Mehretu
White Cube São Paulo, até 01/11
Mario Garcia Torres e Cildo Meireles
PIVÔ, até 01/11
Guillermo Kuitca
Pinacoteca do Estado, até 02/11
Arte Construtiva
Pinacoteca, até 9/11
Waltércio Caldas
Sesc Belenzinho, até 30/11
Carmela Gross
MAM, até 14/12
Paulo Bruscky | Rivane Neuenschwander
MAM, até 14/12
Julio Plaza
Marília Razuk, até 20/12
A Gravura na Obra de Iberê Camargo
Pinacoteca do Estado, até 31/01
Leonilson: Truth, Fiction
Pinacoteca, até 26/04

SP-Arte agita o mundo das artes em São Paulo, dentro e fora do Pavilhão da Bienal

 A SP-Arte já se consagrou como a feira mais importante do circuito internacional abaixo da linha do Equador. E além de trazer as galerias e artistas mais importantes do mundo para expor seus trabalhos no Pavilhão da Bienal, movimentando altas somas e conquistando um público cada vez maior, a feira agitou a vida dos colecionadores, profissionais e apreciadores da arte na cidade.

Ao longo da semana, diversas galerias internacionais, presentes na feira, receberam convidados VIPs em jantares prestigiadíssimos. Dentre elas, Lisson Gallery e David Zwirner receberam um grupo seleto em jantares no Fasano. A austríaca Thaddaeus Ropac ocupou o espaço do Dalva e Dito, de Alex Atala, e os convidados da noite foram recepcionados pelo próprio dono da galeria. A residência de Kim Esteve e Barbara Leary, na Chácara Flora, foi o palco da recepção oferecida pela Pace Gallery, enquanto a Gagosian recebeu colecionadores e artistas no Manioca.

As galerias paulistanas também aproveitaram a efervescência do mundo das artes e capricharam nas exposições e eventos paralelos. Nara Roesler e Mendes Wood também ofereceram jantares; Marilia Razuk e FASS apostaram em cafés da manhã e Luciana Brito, Tranversal e Millan receberam seus VIPs em brunches.

Dezenas de vernissages polvilharam o roteiro cultural. Destaque para as mostras “O Gesto e o Signo”, na White Cube São Paulo; Olafur Eliasson, na Galeria Luisa Strina e na Fortes Vilaça; e AVAF, na Casa Triângulo. Itaú Cultural, Pinacoteca do Estado e Instituto Tomie Ohtake também tiveram aberturas de exposições neste período.

Carbono Galeria abre as portas em São Paulo focada em múltiplos de artista

convite_carbono

Sob o comando de Ana Serra e Renata Castro e Silva, a Carbono Galeria abre hoje as portas para o. Focada em múltiplos de artista, a galeria traz trabalhos de 20 dos principais nomes da arte brasileira em atividade, como Waltercio Caldas, Antonio Dias, Paulo Pasta e Edgard de Souza. Dos 20 trabalhos apresentados na primeira exposição, 18 são inéditos e exclusivos para a Carbono.

As galeristas convidaram para a inauguração do espaço a curadora carioca Ligia Canongia, que se utilizou de sua larga experiência para convidar um time seleto de artistas para desenvolverem múltiplos novos para a empreitada.

A Carbono identificou o colecionismo de múltiplos como uma lacuna a ser preenchida no mercado brasileiro. O múltiplo de artista é tradicionalmente uma edição de um determinado trabalho, que por existir para além do status de peça única, tem seu preço reduzido.

“O múltiplo democratiza e facilita o acesso às obras de arte. É uma maneira de iniciar uma coleção de arte com bons nomes e com investimento menor”, observa Ana Serra. “O múltiplo pode ser uma gravura, uma fotografia ou até uma escultura ou objeto, como no caso do trabalho do Waltercio, que fez um trabalho em forma de livro de artista. Os formatos são ilimitados, Regina Silveira realizou um colar que traz um pequeno led no pingente. Fazia anos que a Regina queria realizar esse trabalho, e foi o formato de múltiplo que permitiu a produção da peça”, finaliza Renata.

Múltipla de Múltiplos”
na Galeria Carbono, até 26 de maio
Rua Joaquim Antunes, 59 – Jardim Paulistano

Feira PARTE de arte contemporânea reúne 22 galerias e trabalhos de mais de 300 artistas em novembro

José Bernnô, Sem título, 2009. Galeria Estúdio Buck

Entre os dias 17 (abertura para convidados) e 20 de novembro, São Paulo vai receber a primeira edição da PARTE – Feira de Arte Contemporânea, que tem como principais características a venda de obras de jovens artistas, o ambiente descontraído e preços mais acessíveis. Serão expostas obras nos mais variados suportes, como fotografia, gravura, desenho, múltiplos e street art. A iniciativa visa aproximar o universo das galerias de um público maior e mais heterogêneo, ampliando o número de colecionadores iniciantes e consumidores do mercado primário de arte.

Idealizada por Lina Wurzmann (administradora de empresas e artista plástica) e Tamara Perlman (advogada), a PARTE se propõe a ser um celeiro de novos artistas, sem contudo deixar de expor trabalhos de artistas já bastante consagrados, que produzem edições e múltiplos, como séries numeradas de fotografias e gravuras. Os trabalhos foram selecionados observando um teto nos valores das obras, que não devem exceder os R$ 15 mil – sendo que 60% delas não devem ultrapassar os R$ 3 mil.

Além da maior acessibilidade nos preços, a PARTE traz ainda um outro diferencial importante, a informação. Para todos os stands, a inclusão do nome do artista e preço ao lado da obra serão a regra, além de folhetos com minibiografias de cada artista.

Estela Sokol, Estudo para uma manhã na neve, 2010. Zipper Galeria

Conheça as galerias participantes:
AC Galeria de Arte
Arte Infinita
Arterix
Central Galeria de Arte
Dconcept
Emma Thomas
Escritório de Fotografias Luiz Porchat
Estúdio Buck
Fotospot
Galeria de Babel
Gravura Brasileira
Impar
Jaqueline Martins
Logo Galeria
Mezanino
Monica Filgueiras e Eduardo Machado
Multiplique Boutique
Murilo Castro
Paralelo Gallery
QAZ Street Art
Virgílio
Zipper

PARTE – Feira de Arte Contemporânea
de 17 de novembro (convidados) a 20 de novembro
R. Lisboa, 904 – Pinheiros
Ingressos: R$ 15,00 (inteira), R$ 7,50 (estudantes e pessoas com mais de 60 anos). Crianças até 10 anos não pagam

Amanhã tem Oscar Oiwa na Galeria Thomas Cohn

Depois da meia noite, Oscar Oiwa

Depois da meia noite, Oscar Oiwa

Precedendo a mostra programada no MNBA (Museu Nacional de Belas Artes) no Rio de Janeiro em maio próximo, com obras desta década, Oscar Oiwa apresenta 11 pinturas da sua produção atual na Galeria Thomas Cohn, a partir de amanhã.

Aos 45 anos, Oscar Oiwa é um dos raros pintores brasileiros com trajetória internacional, tendo exposto em galerias de N. York, Paris, Tóquio e Beijing.  Além do mais, Oiwa fez uma mostra individual no Arizona State University Museum e ultimamente no Museu de Arte Contemporânea de Tóquio no Japão.

Coerente através dos anos, sua obra procura a provável beleza de um mundo pós-apocalíptico no qual a presença humana tornou-se obsoleta.

A exposição fica em cartaz até o dia 16 de abril.