Quem são os dez mais artistas mais caros em atividade na Europa?

richter

Gerhard Richter, Abstraktes Bild (1986). Foto: Sotheby’s

Assim como os artistas europeus tiveram os melhores desempenhos nos leilões de 2015, a arte contemporânea também permanece como o segmento mais lucrativo do mercado de arte.

Com base em seu banco de dados, o portal Artnet levantou quais foram os dez artistas europeus (ainda em atividade) mais caros vendidos em leilão durante 2015. Os resultados apontam que o mercado para artistas europeus contemporâneos manteve-se forte, sendo que metade dos nomes do ranking é de artistas britânicos. Um novo recorde estabelecido para Lucio Fontana e a maior retrospectiva já realizada em museu do artista Alberto Burri, no Guggenheim, revelam a busca por artistas e arte italianos do pós-guerra; como reflexo, quatro italianos aparecem neste Top 10.

Em primeiro lugar, aparece Gerhard Richter, o único representante alemão do ranking. Segue a lista completa:

01 Gerhard Richter Sotheby’s Londres Abstraktes Bild (1986) US$ 46.352.959,12
02 Peter Doig Christie’s NY Swamped (1990) US$ 25.925.000,00
03 Giovanni Anselmo Christie’s NY Tosione (1968) US$ 6.437.000,00
04 David Hockney Sotheby’s Londres Arranged Felled Trees (2008) US$ 5.305.352,63
05 Rudolf Stingel Phillips NY Untitled (2012) US$ 4.757.000,00
06 Damien Hirst Christie’s Londres Lullaby Winter (2002) US$ 4.645.903,14
07 Chris Ofili Christie’s Londres The Holy Virgin Mary (1996) US$ 4.532.945,43
08 Michelangel Pistoletto Christie’s NY Biennale 66 (1966) US$ 3.861.000,00
09 Frank Auerbach Sotheby’s Londres Head of Gerda Boehm (1961) US$ 3.468.686,55
10 Maurizio Cattelan Christie’s Londres Ostrich (1997) US$ 2.419.405,57

 

 

Anúncios

Galeria Luisa promove leilão de parede em prol da Associação Civil Anima

A Galeria Luisa Strina realizará o 10º leilão de parede em prol da Associação Civil Anima, entidade sem fins lucrativos que atende jovens e crianças e dá assistência às suas famílias. O leilão, que acontece no dia 18 de novembro, das 19h às 22h, é resultado de uma ação conjunta entre galerias e artistas, que gentilmente cedem suas obras para seja possível esta arrecadação de fundos.

convite20152-700x560_2

Este ano, 44 artistas de nove galerias participam da iniciativa. A Galeria Luisa Strina disponibiliza um catálogo virtual com os lances mínimos e detalhes das obras. O leilão de parede é um tipo de leilão silencioso, onde as obras são leiloadas simultaneamente no dia do evento. Todas as peças têm uma ficha onde as pessoas podem deixar seus lances. Quem tiver dado o maior lance ao fim do leilão arremata a obra.

Sobre a Anima
A Anima é uma ONG sem fins lucrativos que atua na área de Assistência Social. Iniciou suas atividades em 1994 com um grupo de senhoras doando cestas básicas às famílias soropositivas. Sua proposta foi se modificando e a Associação foi se qualificando em favor das crianças, visando oferecer melhores condições de enfrentamento da doença e a consequente escolha da área da educação, com uma equipe de pedagogos, incluindo atendimento médico, odontológico, fonoaudiológico, fisioterápico e psicológico em parceria com o SUS.

Atualmente a Associação Civil Anima mantém o Projeto Anima Jovem, Grupo de Convivência com Casas de Apoio, VoluntariAnima, Coral Anima e Projetos de Prevenção de DST/Aids. Atualmente, são atendidas 95 crianças (entre 6 a 12 anos), 80 jovens (entre 13 a 17 anos) e 160 familiares, além de atender 20 adultos de Casas de Apoio.

Sorteio
Ao fim do leilão, será sorteada uma obra do artista Cildo Meireles. Para participar, basta comprar um bem-casado da sorte no valor de R$100,00 (no local, por telefone ou via e-mail).

Quem são os 100 artistas mais procurados nas vendas em leilões?

Jeff Koons lidera o ranking de valor alcançado por lote. Em um leilão da Christie’s, em 2013, uma de suas obras ultrapassou o valor de US$ 58 milhões

A equipe de análise do portal Artnet rastreou quatro anos de vendas em leilões para apresentar duas listas com os artistas vivos mais desejados ao redor do mundo. O período analisado está compreendido entre janeiro de 2011 e meados de outubro de 2015.

Na primeira lista estão os 100 lotes individuais mais expressivos de artistas vivos, em termos de valores arrematados. A segunda lista classifica os artistas vivos a partir de seus respectivos valores de vendas no mercado secundário dentro do período analisado. O ranking traz a classificação baseada na soma dos valores individuais de cada artista e indica o número de lotes arrematados.

Confira abaixo as duas listas divulgadas:

Continuar lendo

Um resumo das vendas dos leilões de arte contemporânea na Frieze Week: grandes resultados

Esta foi uma semana e grandes leilões de arte contemporânea em Londres. As principais casas de leilão da cidade aproveitam o boom de visitantes para oferecer lotes especiais.

O gráfico, compilado pelo site ArtNews com base nos dados publicados pela SkatePress, compara os resultados das vendas nos últimos cinco anos pela Christie’s, Sotheby’s e Phillips.

O grande salto em vendas foi dado pela Phillips, que intensificou seus esforços e mais o que dobrou seu total de vendas do ano passado.

(Todos os números foram convertidos de libras para dólares, usando as taxas de câmbio do momento das vendas) 

Top 250 melhores casas de leilão do mundo: América Latina

Jac Leirner, Azulzinho (1991). Papel moeda, acrílico e cabo de aço. Foto: Bolsa de Arte/Divulgação

Não é segredo que os leilões são um grande negócio. Só em 2014 as vendas de obras de arte somaram aproximadamente US$ 8 bilhões. E em maio deste ano, a Christie’s bateu o recorde de escultura mais cara já vendida em leilões, com a obra “L’Homme au doigt”, de Giacometti, arrematada por US$ 141.285.000, e também o de obra de arte mais cara, com a venda de “Les Femmes d’Alger”, de Picasso, por US$ 179.365.000.

Na edição especial da Art+Auction que já está em circulação – e publicada por segmento no portal ARTINFO – estão reunidas as 250 principais casas de leilão do mundo.

Separamos para os nossos leitores a lista com as melhores casas de leilão da América Latina. Para conferir todos os segmentos já publicados pelo ARTINFO, clique aqui.

BRASIL

Bolsa de Arte
Rio de Janeiro, desde 1971
Especialidades: fotografia, arte contemporânea e street art
Lotes notáveis: Azulzinho, 1991, de Jac Leirner, $150,000 (est. $145–210,000), no leilão de Arte Moderna e Contemporânea de abril de 2015. Physichromie 1713, 2011, de Carlos Cruz-Diez, $155,000 (est. $139–166,000) e Figura, 1972, de Emiliano di Cavalcanti, $188,000 (est. $99,000–139,000), no leilão de Arte Moderna e Contemporânea de novembro de 2014.

James Lisboa
São Paulo, desde 1986
Especialidades: arte contemporânea e clássica

Soraia Cals
Rio de Janeiro
Especialidades: arte contemporânea, arte brasileira e fotografia

ARGENTINA

Galeria Arroyo
Buenos Aires, desde 1989
Especialidades: arte clássica, arte moderna e escultura
Lotes notáveis: En la ribera (On the Shore), de Horatio Alberto Butler, $36,000; e Puerto con veleros, 1947, de Gonzalo Fonseca, $15,000, no leilão de Arte Latino-Americana e Arte Europeia de julho de 2015.

URUGUAY

Castells
Montevideo, desde 1991
Especialidades: arte moderna e contemporânea, arte uruguaia, arte decorativa, antiguidades e jóias
Lotes notáveis: Untitled, de Pablo Atchugarry, $68,000, do leilão de Arte Moderna e Contemporânea de janeiro de 2013; Composición en espiral, de José Gurvich, $85,000, do leilão de Pinturas Nacionais de novembro de 2012. Composición, de José Pedro Costigliolo, $91,000, do leilão de Arte Moderna e Contemporânea de julho de 2012.

VENEZUELA

Odalys
Caracas, Venezuela; Madrid, Spain, desde 1992
Especialidades: arte moderna e contemporânea, arte latino-americana, arte venezuelana, arte colonial, design e gravura

No Dia Internacional da Mulher, conheça as artistas mais vendidas em leilões de arte

Apesar de figurar apenas no terceiro lugar da lista, é de Georgia O’Keeffe o quadro mais caro de uma artista mulher já vendido em leilão. Em novembro do ano passado, “Jimson Weed / White Flower Nº 1” (1932) foi vendido pela Sotheby’s por US$ 44,4 milhões

Recentemente, o portal Artnet – que detém um completo banco de dados das vendas do mercado secundário de arte realizadas no mundo todo – publicou uma lista com as artistas que alcançaram as maiores somas em leilões nas últimas três décadas.

Foram examinados os resultados das vendas em casas de leilões desde 1985 e o resultado é uma listagem com 50 nomes poderosos. A maior parte destas mulheres despontou nos séculos XX e XXI, com a arte pós-guerra ou contemporânea.

Entre as artistas, figura apenas uma brasileira: Beatriz Milhazes, ocupando a 41ª posição. Seus 70 trabalhos vendidos em leilões somaram mais de US$ 23 milhões (dados compilados até novembro/2014).

Confira a listagem completa:

Luisa Strina promove leilão de parede em prol da Casa de Vidro

Para ajudar na recuperação da Casa de Vidro, a Galeria Luisa Strina realiza hoje um leilão de parede, em sua sede, a partir das 19hs.

Concebida na década de 50 pela arquiteta Lina Bo Bardi (1914-1992), a Casa de Vidro, sede do Instituto Lina Bo. e P.M Bardi, abriga documentos, projetos e móveis do casal responsável pela criação do MASP. Localizada no bairro do Real Parque, a residência foi o lugar onde Lina e o marido, Pietro Maria (1900-1999) viveram por 41 anos.

O leilão de parede é um tipo de leilão silencioso, onde as obras são leiloadas simultaneamente. Enquanto permanecem expostas, as obras possuem fichas próximas a elas, onde as pessoas anotam seus lances através de números individuais de identificação.

Serão cerca de 50 trabalhos de artistas plásticos, arquitetos, designers e fotógrafos, com nomes como Marcio Kogan, Carlito Carvalhosa, Cildo Meireles, Vicente de Paulo, Hugo França, Leda Catunda e Irmãos Campana. Todos eles criaram uma peça em homenagem a Lina Bo, se utilizando de referências, materiais e inspirações da arquiteta.

Banksy alcança US$ 575 mil em leilão de Miami

“Kissing Coppers”, de Bansky, a única das três peças do artista arrematada no leilão

Uma das três obras do artista britânico Banksy, oferecida no leilão Fine Art Auctions, em Miami, foi vendida por US$ 575 mil.

A peça “Kissing Coppers”, um grafite de 2005 removido da lateral do Prince Albert Pub (Brighton, Inglaterra), tinha valor estimado entre US$ 500 e US$ 700 mil.

Outros dois trabalhos do polêmico artista – “Bandaged Heart” e “Crazy Horse Car Door” – não foram vendidos porque não atingiram seus lances mínimos.

“Kissing Coppers” é um stencil em preto e branco que representa dois policiais ingleses em um beijo apaixonado. O pedaço da parede foi removido e enquadrado, antes que o pub o vendesse para o comerciante de arte Stephan Keszler, que também é o dono das duas outras peças. A obra pesa nada menos do que 1,5 tonelada.

Com informações do The Finest