MASP oferece ciclo de palestras gratuitas sobre história da arte

A partir de 1º de agosto o Museu de Arte de São Paulo inaugura uma série de palestras, em parceria com o Departamento de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Serão encontros mensais, onde professores da UNIFESP discutirão diferentes períodos da história da arte em diálogo com o abrangente acervo do MASP e suas exposições temporárias. O objetivo é oferecer a um público amplo e diverso múltiplas leituras sobre as várias coleções do MASP – da arte europeia à brasileira, da asiática à africana –, entendendo o museu como um espaço democrático de discussão, pesquisa e produção de conhecimento crítico.

As palestras são gratuitas e acontecem sempre aos sábados, das 11h às 13h, com retirada de senha individual na bilheteria do museu, a partir das 10h. Não há necessidade de inscrição prévia.

Confira a programação completa:

1 de agosto
Pintura italiana dos séculos XIII-XIV na coleção do MASP
Palestrante: Flavia Galli Tatsch

12 setembro
O retrato na pintura italiana do renascimento: Florença e Veneza
Palestrante: Cássio Fernandes

3 outubro
Arte da França dos séculos XVIII e XIX
Palestrante: Elaine Dias

14 novembro
León Ferrari em São Paulo
Palestrante: Virgínia Gil

12 dezembro
Arte no Brasil: histórias e(m) construção
Palestrante: Letícia Squeff

Anúncios

MASP apresenta 200 anos de arte francesa com obras icônicas de seu acervo

Rosa e azul – As meninas Cahen d´Anvers, de Pierre-Auguste Renoir, 1881

Artistas da França e estrangeiros que migraram para o país estão reunidos na mostra “Arte da França: de Delacroix a Cézanne”, que permanece em exibição até 25 de outubro.

A exposição percorre quase duzentos anos de produção artística entre os séculos 18 e 20, através de retratos, paisagens, naturezas-mortas e cenas históricas e do cotidiano. São cerca de 80 obras de 24 artistas, entre eles Renoir, Degas, Picasso, Toulouse-Lautrec, Manet e Monet, além de documentos e fotografias do arquivo do museu.

Com curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, Eugênia Gorini Esmeraldo, coordenadora de Intercâmbio, e Fernando Oliva, curador assistente, a exposição privilegiou reunir conjuntos completos do acervo, com destaque para Renoir, Toulouse-Lautrec, Modigliani e Manet. Delacroix e Cézanne, juntos no mesmo espaço, na entrada, funcionam como vetores para todo o percurso, uma vez que apontaram, cada um em seu tempo, tanto para o passado quanto para o futuro da história da arte, pontuando transições entre a tradição e o moderno; o antigo e o novo; entre, por exemplo, Ingres e Léger.

A expografia da mostra retoma projeto de Lina Bo Bardi (1914–1992), arquiteta do MASP, para o acervo do museu. Ele resgata as estruturas tubulares de metal que exibiam as pinturas de forma suspensa, em painéis de madeira, e foram projetadas para o museu, em 1947, ano de sua fundação, na antiga sede da rua 7 de Abril, região central de São Paulo.

“O grande pinheiro”, de Paul Cézanne,1890-96

“Banhistas no Sena – Academia”, de Edouard Manet,1874

Pierre-Auguste Renoir, “A banhista e o cão Grifon – Lise à beira do Sena”, 1870

Mosaico Touch of Class: trienal de arte em Saitama; Arte do Brasil no MASP, restauração de obra de Michelângelo em exposição no Prado, e mais…

Toda semana, a Touch of Class publica um apanhado das notícias que circularam pelo mundo das artes. Mantenha-se informado!

A obra de Victor Meirelles, Moema (1866), está na exposição “Arte do Brasil até 1900", no MASP

A obra de Victor Meirelles, Moema (1866), está na exposição “Arte do Brasil até 1900″, no MASP

Saitama, no Japão, lança nova trienal em 2016: a cidade japonesa se prepara para sediar uma trienal de arte contemporânea a partir de 2016. Com o título “Envisioning the Future”, o evento deve acontecer entre 24 de setembro de 16 de dezembro de 2016. O curador Takashi Serizawa foi nomeado o diretor da trienal, que anunciou também a inclusão de uma exposição baseada em uma residência artística organizada pela artista e curadora Anat Litwin, “HomeBase Project Saitama 2015”. A residência explora temas como os ambientes domésticos e urbanos que estão passando por mudanças e já foi realizada anteriormente em Berlim, Nova York e Jerusalém.

MASP exibe arte brasileira produzida até 1900: lançando um olhar sobre seu próprio acervo, o MASP apresenta 50 obras de sua coleção de pintura brasileira na mostra “Arte do Brasil até 1900”. A exposição, que inclui pinturas e documentos do arquivo histórico e fotográfico do Museu, oferece um retrato do período colonial brasileiros, exibindo não apenas obras de artistas do país, mas também aquelas produzidas aqui, ou sobre o Brasil, por artistas estrangeiros. O gênero predominante é a pintura de paisagem, mas a mostra inclui também naturezas mortas e retratos. A exposição acontece até 6 de junho, no segundo subsolo do MASP.

Prado revela escultura restaurada de Michelângelo: depois de 19 anos de trabalho de restauração, a obra Young Saint John the Baptist (1495-96) volta a ser exibida no Museu do Prado. A escultura, única de Michelângelo na Espanha, foi destruída durante a Guerra Civil (1936-39) na Andaluzia. A restauração completa era impensável até bem pouco tempo, porém as peças armazenadas por décadas foram enviadas ao Opficio delle Pietre Dure, em Florença, onde uma equipe de especialistas, aliada à alta tecnologia, trabalhou meticulosamente para restaurar a obra – embora as “cicatrizes” permaneçam visíveis. A escultura permanecerá em exibição até 28 de junho, antes de voltar ao seu local original de exposição, na Capela do Salvador de Úbeda.

Dez artistas registram recordes no leilão Made In Britain da Sotheby’s: cerca de 97% dos lotes a venda no leilão realizado pela casa londrina superaram as expectativas. Made In Britain atingiu a soma de £3,377,068 (acima da estimativa, entre £1,495,200 e £2,205,790). O leilão reunia obras desde 1900 até os dias atuais, com alguns dos principais nomes da arte britânica pós-guerra e contemporânea. O leilão atraiu 850 participantes de 34 países.

13ª Semana de Museus terá participação recorde: sob o tema “Museus para uma sociedade sustentável”, a 13ª Semana de Museus acontece entre os dias 18 e 24 de maio em todo o país. No total, 1378 instituições já confirmaram sua participação, com 4570 eventos cadastrados em 609 cidades do Brasil. O tema segue o mote do Dia Internacional dos Museus: com a função de educadores e mediadores culturais, os museus exercem papel fundamental na construção do desenvolvimento sustentável, fomentando novas formas de vida e desenvolvimento dentro dos limites da natureza e servindo como laboratório para melhores práticas.

Quer ficar por dentro de todas as notícias do mundo das artes? Assine grátis a nossa e-magazine e receba direto no seu e-mail!

E-magazine #278 – Sotheby’s| 21ª Edição da Artíssima | Pinacoteca e Masp com novos diretores artísticos

– Sotheby´s vende “Charriot”, de Giacometti, por US$ 101 milhões;
– Turim recebe a 21ª Edição da Artíssima;
– Pinacoteca e Masp ganham novos diretores artísticos para 2015;

E mais: notícias da semana, agenda de exposições no Brasil e no Mundo, calendário de feiras internacionais e leilões de arte, além da seção “Em cartaz”, com as principais mostras em cartaz. Para ler na íntegra, clique aqui.

Ainda não recebe gratuitamente a nossa e-magazine? Então assine:http://www.touchofclass.com.br/cadastro.html

E-magazine #269 – Julian Schnabel | Made By… feito por brasileiros | Etíope Julie Mehretu

– Julian Schnabel em exposição no MASP e na Galeria Raquel Arnaud;
– “Made By… feito por brasileiros” ocupa hospital desativado em São Paulo;
–  White Cube de São Paulo apresenta trabalhos recente da Etíope Julie Mehretu;

E mais: notícias da semana, agenda de exposições no Brasil e no Mundo, calendário de feiras internacionais e leilões de arte, além da seção “Em cartaz”, com as principais mostras em cartaz. Para ler na íntegra, clique aqui.

Ainda não recebe gratuitamente a nossa e-magazine? Então assine: http://www.touchofclass.com.br/cadastro.html

Cena paulistana das artes visuais fervilha com a abertura da 31ª Bienal de São Paulo

Julie Mehretu é destaque na White Cube de São Paulo, na semana que antecede a abertura da Bienal

Com a iminência da abertura da 31ª edição da Bienal de São Paulo, que atrai centenas de colecionadores e diretores de instituições internacionais ligadas à arte, os eventos culturais da cidade de São Paulo estão a todo vapor.

Além dos jantares, visitas guiadas e outras recepções, voltadas apenas a convidados ilustres, galeria e museus da cidade guardaram a abertura de suas melhores exposições para este período.

A Bienal abre suas portas para o grande público no próximo sábado, dia 6. Porém, durante a semana que antecede a abertura oficial, outros eventos chamam a atenção. Instituições como a MAM, Pinacoteca de São Paulo, MASP, Oca, Museu Afrobrasil, Itaú Cultural, Casa da Imagem, MuBE e programaram suas vernissages no decorrer da semana. E desde o final da semana passada, grande parte das galerias mais expressivas vem oferecendo exposições gratuitas de seus artistas de destaque.

Confira abaixo as próximas aberturas e o que permanece em cartaz durante a Bienal para programar as suas visitas:

SEGUNDA-FEIRA, 01/09
Paulo Bruscky | Rivane Neuenschwander – MAM
Abertura para convidados – 31ª Bienal – Pavilhão da Bienal

QUARTA-FEIRA, 03/09
Cristiano Lenhardt, Gabriel Lima e Rodrigo Cass – Galpão Fortes Vilaça
Analívia Cordeiro – MuBE
Fernando Velázquez / Daniel Escobar – Zipper Galeria
Tai Ogawa / Fernando Vilela – Galeria Virgilio

QUINTA-FEIRA, 04/09
Julian Schnabel – Galeria Raquel Arnaud
Ibirapuera: Modernidades Sobrepostas – OCA
Julian Schnabel – MASP
Gustavo Speridião – Galeria Superfície

SÁBADO, 06/09
Abertura para o público – 31ª Bienal – PAVILHÃO DA BIENAL
Shima – Casa Contemporânea
Lawrence Weiner – Galeria Luisa Strina
Lawrence Weiner – Mendes Wood DM
José de Guimarães / A Serpente no Imaginário Artístico / Arte Bakuba – Museu Afro Brasil

JÁ EM CARTAZ:
Camilo Meneghetti e Nati Canto
Zipper Galeria, até 06/09
Francis Bacon
Paço das Artes, até 07/09
José Leonilson
Galeria Superfície, até 07/09
Marcos Chaves
Galeria Nara Roesler (RJ), até 07/09
Rosângela Rennó
Galeria Vermelho, até 13/09
Cassio Michalany
Galeria Raquel Arnaud, até 20/09
Gabriel Wickbold
Galeria Lume, até 20/09
Hermelindo Fiaminghi
Dan Galeria, até 20/09
Armando Andrade Tudela
Galeria Fortes Vilaça, até 27/09
Yuri Firmeza | Manuela Ribadeneira
Casa Triângulo, até 27/09
Thiago Rocha Pitta
Galeria Millan, até 27/09
Tunga | Sonia Gomes
Mendes Wood DM, até 04/10
Taipa Tapume
Galeria Leme, até 04/10
Paulo Nazareth
MendeS Wood DM – V. Romana, até 04/10
Carlito Carvalhosa
Galeria Nara Roesler, até 05/10
Histórias Mestiças
Inst. Tomie Ohtake, até 05/10
Shirley Paes Leme
Bolsa de Arte, até 11/10
Song Dong
Baró Galeria, até 11/10
Liuba Wolf
Galeria Marcelo Guarnieri, até 11/10
Paulo Bruscky
Galeria Nara Roesler, até 18/10
Johanna Calle
Marília Razuk, até 18/10
Sabotagem | Caio Reisewitz
Casa da Imagem, até 19/10
Mira Schendel
Pinacoteca do Estado, até 19/10
Flora Assumpção | Nazareno
Galeria Emma Thomas, até 24/10
Rumos Artes Visuais 1998:2013
Itaú Cultural, até 26/10
Julie Mehretu
White Cube São Paulo, até 01/11
Mario Garcia Torres e Cildo Meireles
PIVÔ, até 01/11
Guillermo Kuitca
Pinacoteca do Estado, até 02/11
Arte Construtiva
Pinacoteca, até 9/11
Waltércio Caldas
Sesc Belenzinho, até 30/11
Carmela Gross
MAM, até 14/12
Paulo Bruscky | Rivane Neuenschwander
MAM, até 14/12
Julio Plaza
Marília Razuk, até 20/12
A Gravura na Obra de Iberê Camargo
Pinacoteca do Estado, até 31/01
Leonilson: Truth, Fiction
Pinacoteca, até 26/04

Cidades invisíveis, mostra com os principais fotógrafos brasileiros, em junho no MASP

As cidades do mundo pela lente de renomados fotógrafos do país dos anos 30 até os dias de hoje

O MASP abre na próxima sexta-feira, 13 de junho, um inédito recorte curatorial sobre a coleção de fotos do museu em mostra com 70 obras de 50 dos principais fotógrafos brasileiros nos últimos 80 anos. Em Cidades invisíveis, com curadoria de Teixeira Coelho, a maioria dos trabalhos pertence à coleção Pirelli MASP – o mais completo painel da arte fotográfica no país, com mais 1100 obras reunidas em 19 edições, de 1991 e 2012. Foram selecionadas obras de artistas como Thomas Farkas, Pierre Verger, Geraldo de Barros, Odires Mlászho, Miguel Rio Branco, João Musa, Cassio Vasconcelos, Bob Wolfenson, Ricardo Barcelos e muitos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O título da mostra, que será apresentada no Mezanino do 1º Subsolo, é uma citação à obra homônima de Italo Calvino, fato sobre o qual o curador aqui escreve:
CIDADES INVISÍVEIS nas fotos da Coleção Pirelli MASP

Cidades são sempre invisíveis – quase todas as cidades. Por isso, e para se colocarem ao alcance das pessoas, precisam ser reduzidas a um símbolo: a parte pelo todo, como o MASP para designar São Paulo (antes foi o prédio Martinelli ou o do Banco do Estado), a Torre Eiffel no lugar de Paris, o Empire State Building para Nova York, o Parlamento em Londres…

E as cidades são tão mais invisíveis quanto maiores forem: dentro de uma grande cidade, cada um vive numa área delimitada, bem menor que o todo, sem por vezes jamais conhecer nem mesmo zonas adjacentes.

O paradoxo é bem este: as cidades são visíveis – e tanto que foram fotografadas — e ao mesmo tempo, invisíveis ao olho cotidiano. De fato, é preciso quase sempre que uma imagem revele a alguém aquilo que essa pessoa poderia ver por si mesma e que ela de fato já viu, que ela já “conhece”. O homem contemporâneo vê muito mais por meio da lente de uma câmara fotográfica ou cinematográfica ou, cada vez mais comum, pela lente da câmara embutida no celular. Não é exagero dizer que, em situações comuns, o homem contemporâneo só vê, só enxerga, depois, quando examina a foto de um lugar ou de algo que “viu” ao vivo no passado.  Hoje, é a objetiva de uma câmara que o ensina a ver. (Com a diferença, agravante para o problema do conhecimento pela imagem, de que quanto mais amplia a imagem disponível, quase sempre menos vê e menos entende, como no emblemático filme Blow up de Antonioni…).

A dignidade das fotos aqui mostradas contesta com frequência a dignidade das fotos jornalísticas. Há, naquelas aqui expostas, um algo a mais que, ao revelar seu objeto (torná-lo visível), oculta-o novamente (vela-o, tornando-o de novo ainda mais invisível). Estas fotos foram aqui agrupadas com um critério flexível: inútil, de resto, impor uma categorização demasiado rígida às obras de arte.

* * *

A exposição inclui fotos feitas entre 1933 e a atualidade, de autoria de 50 dos mais destacados nomes incluídos na Coleção Pirelli MASP – entre eles Cláudia Andujar, Geraldo de Barros, Gautherot, José Medeiros, Miguel Rio Branco, Thomas Farkas, Pierre Verger,  German Lorca – tendo por objeto mais de 20 cidades do Brasil e do mundo.

 

Teixeira Coelho, maio 2014

Masp busca reestruturação para sair da crise

(via Flickr)

Com o objetivo de superar uma das crises mais significativas de sua história, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) divulgou um comunicado com propostas para modificar seu estatuto e modernizar sua gestão administrativa. O documento também informa que o museu obteve apoio financeiro do Itaú Unibanco, que ajudará na reestruturação financeira a partir de recursos próprios e por meio da Lei Rouanet.

Para dar andamento neste processo de mudança, o Masp convidou um grupo de especialistas, que deverá ser a base da nova diretoria. Encabeçado pelo empresário e consultor financeiro Heitor Martins, ex-presidente da Fundação Bienal de São Paulo, o grupo inclui o também empresário Nilo Cecco, o professor Miguel Chaia, o advogado Alexandre Bertoldi e Flavia Velloso, uma coordenadora do Museu de Arte Moderna de São Paulo, e Alberto Fernandes, do Itaú BBA.

As propostas apresentada pelo Masp deverão ser votadas em assembleia no próximo dia 29. Aprovado o novo estatuto, será convocada uma nova assembleia geral em até 60 dias para eleger os novos conselheiros e a nova diretoria para liderar a instituição.

Com informações do Masp, Cultura e Mercado, O Globo e Folha de S. Paulo.

Colecionadora assume diretoria do MASP

Pela primeira vez na história do Museu de Arte de São Paulo uma mulher assume a presidência desta instituição. Beatriz Pimenta Camargo fica no cargo até 2015 e será a substituta de João da Cruz Vicente de Azevedo.

Colecionadora de arte, Beatriz Pimenta Camargo faz parte do conselho internacional do MoMA, de Nova York, integra outras instituições brasileiras como a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano e a Fundação Bienal, em São Paulo, e o Museu do Oratório, de Ouro Preto (MG). A empresária tem uma coleção pessoal de arte brasileira que é conhecida e respeitada no mundo todo

Em entrevista aos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, Beatriz sinalizou que deve dar prosseguimento aos projetos das gestões anteriores, como a obra do prédio anexo ao museu, que abrigará a nova sede administrativa da instituição e uma escola de arte, museologia, tecnologia, fotografia e cinema, além de novos espaços expositivos.

Fontes: Folha de S. Paulo e Estadão

Curadores da exposição De Dentro e De Fora recebem Pedro Alonzo para conversa no MASP

O curador adjunto do Instituto de Arte Contemporânea de Boston, Pedro Alonso, vem ao Brasil para trocar experiências e discutir propósitos curatoriais. A conversa será gratuita e aberta ao público no Grande Auditório do MASP, nesta sexta-feira, 11 de novembro de 2011. A idéia não é só esclarecer os conceitos da exposição em São Paulo, mas também levar ao conhecimento do público as analogias que existem entre a atuação dos curadores em suas diferentes atuações, sempre ligadas à arte pública.

Curador independente, Pedro Alonzo foi recentemente nomeado como curador adjunto do Instituto de Arte Contemporânea (ICA) Boston, onde vive atualmente. Anteriormente, foi curador adjunto do Instituto de Artes Visuais da Universidade de Wisconsin, Milwaukee, entre 1996 e 2002. Ele também tem escrito extensivamente, incluindo entrevistas com artistas como Mark Ryden, William Cordova e Jeff Soto publicados no livro The Upset: Young Contemporary Art, além de um ensaio sobre Keith Haring para o catálogo da exposição Keith Haring 1978-1982.

Trata-se de uma iniciativa que integra as atividades paralelas da exposição De Dentro e De Fora, com curadoria de Mariana Martins, Baixo Ribeiro e Eduardo Saretta, que também participam da conversa. A exposição fica em cartaz até 23 de dezembro no MASP com obras dos artistas Bijari, Chu, Defi, Invader, JR, Point, Remed, Swoon e Tec.

Conversa sobre curadoria com Mariana Martins, Baixo Ribeiro e Eduardo Saretta/ Convidado especial: Pedro Alonzo
11 de novembro, das 19h às 21h
Auditório do MASP – Av. Paulista, 1578
Grátis (capacidade sujeita à lotação da sala – fila de chegada)