Vídeo: retrospectiva de Jean Dubuffet na Fondation Beyelerv

Jean Dubuffet – Metamorphoses of Landscape”, na Fondation Beyeler (Basel, Suíça) é uma retrospectiva abrangente da obra multifacetada do artista francês. A exposição vai ate 8 de maio e apresenta mais de 100 trabalhos do pintor e escultor, que também é reconhecido como o fundador da Art Brut. Sua influência pode ser sentida ainda hoje na arte contemporânea e na street art, como por exemplo, nos trabalhos de Jean-Michel Basquiat, Keith Haring e Ugo Rondinone.

A exposição na Fondation Beyeler centra-se na ideia de paisagem de Dubuffet, que em suas mãos podem se transformar em um corpo, um rosto ou um objeto. Retratos, nus femininos e natureza morta se transformam em vibrantes paisagens.

Via Vernissage TV

Anúncios

[Retrospectiva 2015] Vernissage TV publica lista com os 10 vídeos mais vistos do ano

A Vernissage TV é um projeto que publica vídeos sobre as principais exposições e eventos de arte contemporânea, design e arquitetura ao redor do mundo. O ranking dos vídeos mais vistos em suas plataformas de distribuição (no próprio site ou em canais do Youtube, iTunes, Vimeo, entre outros) pode ser considerado um panorama geral de como foi o ano para as artes visuais ao redor do mundo.

Os dois vídeos mais vistos em 2015, por exemplo, fazem uma breve cobertura da Bienal de Veneza – que é, certamente, um dos eventos de arte mais importantes do calendário das artes.

Confira a lista e assista aos vídeos:

  1. Venice Art Biennale 2015: Arsenale

Continuar lendo

Retrospectiva 2015: Os melhores novos museus do mundo

Diversas instituições já surgiram cheias de prestígio ao redor do mundo, durante o ano de 2015. Confira a seleção do The Art Newspaper com os principais destaques:

fa65e095aac1aaafd93d0a9131b0358d_a47ae5840aaf17c4163e08771ff0a5c01072x1467_quality99_o_1a4dj45bfko9c8e1fq91kd11m1ttfWhitney Museum of American Art, Nova York
Inusitadamente, os críticos foram quase unânimes nos elogios ao repaginado Whitney Museum of American Art, aberto em maio no Meatpacking District, no centro de Manhattan. O museu possui a maior galeria sem colunas de Nova York, com 1673 m².

Continuar lendo

Vídeo: maior retrospectiva de Calder em cartaz na Tate Modern

Com “Performing Sculpture”, a Tate Modern de Londres apresenta a maior exposição de Alexander Calder já vista no Reino Unido. Calder foi um dos artistas mais inovadores do século 20 e o pioneiro da escultura cinética.

São cerca de 100 trabalhos do artista, em uma mostra que retrata como Calder criou esculturas a partir de objetos estáticos. A exposição traz ainda retratos de Calder criados por outros artistas, incluindo Miróe Fernand Léger; uma seleção de paineis, como o Red Panel e o White Panel; mobiles motorizados como Black Frame e A Universe; esculturas animadas apenas pelo movimento do ar; mobiles sonoros e o maior de todos os mobiles de Calder: Black Widow.

Alexander Calder: Performing Sculpture permanece na Tate Modern até 3 de abril de 2016.

Via Vernissage TV

Arthur Luiz Piza em duas mostras simultâneas em São Paulo

 

Duas exposições simultâneas apresentam, em São Paulo, um apanhado da trajetória do artista Arthur Luiz Piza, um dos principais artistas contemporâneos brasileiros. Estação Pinacoteca e Galeria Raquel Arnaud sintetizam 70 anos de produção artística com duas exposições significativas.

A Galeria Raquel Arnaud celebra 40 anos de parceria com o artista com “Piza – 1947/2015”, onde reúne pinturas, aquarelas, guaches, desenhos, relevos e esculturas. Não se trata de uma retrospectiva de sua extensa carreira, mas ressalta movimentos poéticos de seu início e que hoje são reconhecidos em suas obras.

Já na Estação Pinacoteca, estão cerca de 140 gravuras de períodos e estilos diversos, que mostram o percurso que Piza imprimiu à sua produção desde suas experimentações da década de 1950.

Nascido na cidade de São Paulo em 1928, Arthur Luiz Piza participou da I Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo e já realizou mostras individuais no Brasil e em vários outros países como Japão, Equador, França, Alemanha, Suíça, Suécia, Iugoslávia, Itália, Espanha, Dinamarca e Estados Unidos.

A exposição na Estação Pinacoteca vai até 12 de fevereiro; na Galeria Raquel Arnaud, até 19 de dezembro. Em ambas a entrada é gratuita.

Instagram em foco: #FridaKahlo #InstitutoTomieOhtake

Na série de posts “Via Instagram”, selecionamos uma #hashtag que destaque os assuntos do momento no cenário internacional das artes.

Hoje, as escolhidas são #FridaKahlo e #InstitutoTomieOhtake. A exposição “Frida Kahlo: conexões entre mulheres surrealistas no México” abriu as portas no Instituto Tomie Ohtake em 27 de setembro e promete atrair milhares de visitantes.

A exposição revela uma intrincada rede que se formou no México, no início do século passado, tendo como eixo fundamental a figura de Frida Kahlo. A mostra conta com cerca de 100 obras de 16 artistas mulheres, nascidas ou radicadas no México e fica em cartaz até 10 de janeiro.

Entre as obras, 20 são telas de Frida, mostradas pela primeira vez no Brasil. Um número bastante significativo, já que a pintora produziu apenas 143 telas em sua carreira.

Confira algumas imagens selecionadas do Instagram:

#frida #institutotomieohtake #tomieohtake #art #artes #artistic

A post shared by Gaby Alves🎀📷🎨 (@gabyalves) on

Continuar lendo

Instagram em foco: #AiWeiwei

Na série de posts “Instagram em foco”, selecionamos uma #hashtag que destaque os assuntos do momento no cenário internacional das artes.

Hoje, a escolhida é #AiWeiwei. A Royal Academy de Londres está exibindo uma retrospectiva do artista chinês Ai Weiwei. Com curadoria em colaboração com Ai Weiwei, a mostra traz algumas das suas obras mais importantes, criadas entre o momento em que o artista retornou à China vindo dos EUA, em 1993, até os dias atuais.

Alguns trabalhos inéditos foram criados especificamente para as galerias e pátio da RA. Entre eles, está uma série de instalações de grande escala, assim bem como obras criadas a partir de mármore e aço até chá, vidro ou bicicletas.

Com sua ousadia típica, as obras de Weiwei exploram uma infinidade de temas desafiantes, com base na sua própria experiência como comentador da liberdade criativa, da censura e dos direitos humanos, bem como examinam a arte e a sociedade chinesa contemporânea.

Confira as imagens:

🍂 #RA #AiWeiWei 🙌 Beautiful day in London with @henrykitcher 👊💥

A post shared by SANG WOO KIM (@sangwo0) on

Continuar lendo

Vídeo: retrospectiva de Carl Andre no Dia Beacon

“Carl Andre: Sculpture as Place, 1958 – 2010”, em cartaz no Dia Beacon, em Nova York, é a primeira retrospectiva a considerar o espectro completo da arte de Carl Andre. Agrupada em três partes: esculturas, poesia e outras produções sem classificação, a exposição reúne cinco décadas da produção do artista.

São 45 esculturas, mais de 160 poemas e trabalhos em papel apresentados em vitrines desenhadas pelo artista. Uma seleção com assemblages raramente exibidas, conhecidas como Dada Forgeries, e uma seleção inédita de fotografias completam a mostra. Esta é a primeira exibição da obra completa de Andre em um museu e a primeira retrospectiva sua na América do Norte desde 1980.

A exposição vai viajar depois para alguns museus da Europa, incluindo o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Madri (de 7 de maio a 12 de outubro de 2015); Hamburger Bahnhof, Museum für Gegenwart, Berlim (7 de maio a 25 de setembro de 2016) e o Musée d’Art moderne de la Ville de Paris (20 de outubro de 2016 a 12 de fevereiro de 2017). No Dia Beacon, a exposição permanece até 2 de março de 2015.

Via Vernissage TV

Vídeo: Bill Viola no Grand Palais

Desde que abriu suas portas, o objetivo da National Galleries of France no Grand Palais é o de apresentar, para a maior audiência possível, os artistas mais importantes de toda uma geração. Tudo começou em 1966, com uma retrospectiva de Pablo Picasso, e em 2014 está em cartaz uma grande mostra sobre o trabalho de Bill Viola.

Bill Viola é, sem sombra de dúvida, um dos mais notáveis artistas dos séculos XX e XXI, um dos pioneiros da videoarte. Através de décadas, o artista vem acompanhando a evolução das tecnologias e multiplicou as possibilidades de apresentação – projeção, retroprojeção, televisão, dípticos, trípticos, multi-telas. Mas, acima de tudo, conseguiu criar através da videoarte, uma linguagem universal que fala às nossas mais profundas interrogações sobre a existência humana.

A exposição no Grand Palais está organizada em torno de três perguntas: “Quem eu sou? Onde estou? Para onde vou?”. Com 20 obras magistrais, desde “Reflection Poll” (1977-79) a “The Dreamers” (2013), a retrospectiva propõe ao expectador uma viagem através das reflexões existenciais de Bill Viola.

Em cartaz até 21 de julho

Vídeo e informações via Blouin ArtInfo